fabiana lima

Carregando...

quinta-feira, 18 de março de 2010

MAGAZINE LUIZA Uma História de Sucesso

Bibliografia



Informações baseadas no texto com reposta próprias

http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/6-p-s-do-marketing/22695/




1. Descreva as estratégias utilizadas pelo Magazine Luiza no seu
composto ou variáveis do Marketing Mix (6 P´s). Veja o livro de
referência das aulas com o mix de cada uma das variáveis e busque
mais informações em outras fontes como livros, artigos, internet, site da
empresa, etc.

o atendimento e a exposição. Estes dois fatores são tão importantes que, além dos tradicionais produto, preço, promoção e praça (distribuição), Parente defende a teoria dos seis P’s, onde duas novas variáveis se destacam: o P de Pessoal (atendimento e serviços) e o P de apresentação. Paixão, porque o entusiasmo do varejista e seus colaboradores é fundamental para o sucesso de sua operação


2. Faça uma pesquisa sobre os hábitos de compra de eletroeletrônicos por
parte do consumidor brasileiro de uma forma geral, e diga, na sua
opinião, como o ML poderá criar um conceito de loja que torne o espaço
mais interativo e proporcione a experimentação?

90% consumidores de eletrodomésticos , na grande maioria das vezes efetivam estas compras por força maior da necessidades ,outros 10% compram por achar que seus eletrodomésticos estão antigos ou vontade própria de se realizar uma renovação neste sentido .
Como o grande foco seria o consumidor classe media , e até mesmo classe media baixa onde os cliente podem optar por empréstimos pessoais e outros serviços financeiros.
Para que seu espaço seja interativo que tal estandes com demonstrações do produto , garantias estendidas, valores acessíveis , brindes na compra do produto . promoções como um queimão As lojas deveriam procurar entender o que é mais vendido em eletrodomésticos e efetivar uma super promoção para queima de estoque renovando assim suas mercadorias .quanto as mercadorias que se encontram fora de lihna essas sim deveriam serem utilizadas como focos de brindes em sorteios incentivando o consumidor a comprar o produto de pouca saída .

3-Identifique no texto e em outras fontes de consulta (internet, revistas,
livro e na própria loja, os pontos fortes e fracos e as oportunidades e
ameaças nos ambientes de marketing do micro e macroambientes que
possam maximizar o crescimento da empresa e/ou retraí-lo. Se
necessário, justifique sua interpretação e cite a fonte.

Conforme estudos na própria empresa Magazine Luiza,podemos concluir que os pontos fortes que sustenta a empresa são:
a- Distribuição das lojas com muito critério,observando e respeitando a realidade econômica e cada praça. Ex.:369 Lojas convencionais classe ( C/D) -23 Lojas em shoppings classe ( A/B ) - 62 lojas virtuais classe ( C/D ) e 01 site classes A/B ( Homens e mulheres acima dos 20 anos.)

b-Clientela formada , 15 milhões dados de 2010
c-Atendimento diferenciado
d- Publicidade nos veículos de mídias junto ao público,ex. domingão do Faustão
e- Outras empresas do grupo: financeira,seguradora e administradora de consórcios.

Ponto fraco: Podemos analisar que numa empresa como Magazine Luiza,com toda organização ,somente um erro ao mudar a estrutura ex. pessoal, qualidade dos produtos,atendimento,estruturas físicas,mudança radical na economia do país,danos causados pela natureza.


4. Na sua opinião, como o Magazine Luiza cria valor para seus clientes?
Sugira algumas ações específicas que podem ser implementadas no
relacionamento para gerar fidelização.

canal de distribuição não convencional,as “lojas virtuais”, em uma tradicional rede
de lojas de departamentos Em conclusão, verifica-se aviabilidade de o novo formato de varejo, que agrega instrumentos do varejo tradicional com ferramentas do comércio eletrônico, vir a se constituir num canal de distribuição eficaz, de baixo custo de implantação, capaz de se colocar como uma alternativa aos canais varejistas tradicionais.
Cada vez mais as organizações buscam se preocupar com a sua imagem “falada”, que é diferente da imagem publicitária, oficial, transmitida pelos canais formais de comunicação. A imagem comentada é aquela transmitida nas conversas entre amigos, é o burburinho, o buxixo, enfim, o boca-a-boca. É sabido que uma opinião transmitida por alguém que conhecemos, e a que damos crédito, é tão ou mais forte que uma mensagem transmitida pela própria empresa ou por seus vendedores.
É a velha lição de casa. A satisfação vem dessa boa gestão, portanto, é importante ser prudente na promessa e rigoroso no controle da qualidade dos produtos e serviços. É daí que nasce a reputação: da expectativa atendida continuamente. O diferencial da rede de lojas Magazine Luiza, e o tratamento amigável dispensado aos clientes e a impressão dada pelos vendedores de que sempre buscam a melhor solução ao consumidor.

- Ações especificas Ex. dia do pais,mães,criança,idoso etc. sempre cordial
- Deixar que o cliente cinta sempre à-vontade na sua escolha
- Passar sempre informações corretas , respeitar e transmitir confiança da empresa.'


5. Cite 2 sugestões estratégicas para que o Magazine Luíza possa
continuar crescendo apesar da fusão entre as Casas Bahia e o Grupo
Pão de Açúcar? Justifique. Pesquise o que outras empresas em
diversos segmentos fizeram para enfrentar este tipo de desafio.

Há clientes que se aproximam mais, seja para aprender e colher mais dados, seja para reclamar e exigir seus direitos. Nunca deixe de atendê-los, ouvi-los e respondê-los. O pior para sua imagem é não dar atenção a quem resolveu se aproximar. O ponto crítico é que, para dar essa atenção a mais, será preciso investir mais no atendimento e nos canais de atendimento, será preciso criar processos de feedback e gerenciar também esse grupo de clientes. Clientes não compram apenas seu produto. Compram sua história, sua técnica e sua experiência. Dissemine seu saber, crie narrativas em volta do seu produto e da sua organização, quanto mais o cliente aprender, mais ele terá o que comentar e mais significados ele encontrará para manter-se cliente. A disseminação, inicialmente, é promovida pelos meios de comunicação formais, mas sua força vem, principalmente, do envolvimento das pessoas, clientes e stakeholders, que replicam suas opiniões e experiências para frente.



6) Qual o nível de relacionamento que a Magazine Luiza mantém com seus
principais fornecedores, a partir do texto?


Há uma sincronização de ambas as partes , fizeram uma parceira Implantando com o objetivo de integrar os fornecedores mais importantes à nova visão e aos novos processos. fazer um planejamento conjunto, compartilhando seus conhecimentos e buscando reduzir as falhas.é feita a sincronização da entrega de itens novos
com o escoamento dos antigos, trabalha com um horizonte de 60 dias, o planejamento é feito em consenso entre as áreas de compras, logística e o fornecedor. focado na identificação da demanda real. São feitas reuniões semanais com o grupo tático afim de acompanhar o descolamento do planejado x realizado e promover ações corretivas de curto prazo. como análise dos resultados
do mês anterior sob o ponto de vista de planejamento e execução e por último
uma reunião trimestral com a presença da diretoria das empresas a fim de
prestar contas dos resultados e garantir o apoio necessário para continuidade do projeto.



7) Caso sua empresa fosse fornecedora do Magazine Luiza, que tipo de
análise de mercado seriam necessárias para manter um relacionamento
forte?


Uma negociação será eficazmente realizada na medida em que seja convenientemente administrada nas três fases do processo: 1) preparação (planejamento), 2) implementação (execução) e 3) administração do evento (controle). Nas organizações não é raro você lidar com situações de urgência para alcançar determinado objetivo. Quanto mais dependente de urgências ou emergências a negociação poderá ser comprometida pela dificuldade planejamento e execução para alcance de seus objetivos.



8) E se sua empresa fosse fornecedora do Magazine Luiza, quais
indicadores poderia utilizar para avaliar o desempenho e a relação?



Se você preferir ou puder, é bastante interessante fazer uma auditoria nas instalações dele, ou ao menos uma visita de avaliação. Inovar no design da comunicação é fundamental para agregar valor ao seu produto. É comum entre as empresas aumentar o envio de e-mail marketing, contanto que não pareça insistente ou apelativo.
Avalie o trabalho da concorrência e veja o que eles não estão fazendo. A preferência do consumidor vai para quem oferecer mais vantagens.
Outro ponto que considero importante é saber escutar o cliente (interno ou externo). Há uma diferença em ouvir e escutar. Nós temos os momentos de fraquezas, e nesses momentos precisamos ser ouvidos e compreendidos. Procure ver quantas oportunidades perdeu. Oportunidades que muitas vezes podem surgir de idéias de um simples subordinado que não escutamos. Veja quantas vezes bloqueamos a mensagem dos outros por defender a nossa sem dar oportunidade de argumentação a quem estar falando no momento? Quantas vezes nem sequer deixamos ele terminar e já fazemos o julgamento precipitado, dizendo que a mensagem ou a idéia não serve. Quantas vezes transformamos nosso colaborador em ouvinte? Será que ele tem que engolir tudo sem direito de contestar? Quantas vezes uma coisa sai errada porque não terminou de ouvir tudo como deveria?

domingo, 6 de dezembro de 2009

resposta trabalho de Marketing Social e Ambiental e – Marketing Internacional

Aluna : Fabiana Lima Moreira De Sabóia


Bibliografia


Informações baseadas no texto com reposta próprias
Http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?Base=./noticias/index.php3&conteudo=./noticias/amyra/creditos.html

Http://www.creditoscarbono.com.br/verinformativo.php?Informativo_id=2
Http://www.



1. Cresce a importância das auditorias nas grandes células sociais para avaliar os custos ambientais presentes e futuros. Cresce a importância da Contabilidade Social e Ambiental. Crescem os investimentos das células sociais na recuperação e preservação ambiental. O Ativo e o passivo ambiental não podem ser mais ignorados. Isto posto, a proposta do presente trabalho é demonstrar que a obtenção do selo de qualidade na gestão ambiental da empresa constitui-se de um diferencial competitivo capaz melhorar a imagem da organização perante o meio social em que esta instalada e atrair os mais exigentes consumidores, traduzindo-se em aumento do nível de vendas e consequentemente da lucratividade da empresa através do maior giro dos estoques.



2- O objetivo deste é discutir o desempenho ambiental da indústria brasileira e sua relação com a competitividade. O desempenho passado do setor, caracterizado por relativa negligência.
Nesta perspectiva dinâmica sobre os determinantes da competitividade, observa- se que as empresas de inserção internacional são aquelas que mais se preocupam com a questão ambiental.
A evolução da indústria brasileira numa perspectiva ambiental, evidencia seu perfil de potencial poluidor. O aumento da produtividade dos recursos é possível porque a poluição é,Muitas vezes, um desperdício econômico. Resíduos industriais, sejam sólidos,Líquidos ou gasosos, podem ser reaproveitados em diversos casos, utilizando para a co- geração de energia, extraindo substâncias que serão reutilizadas E reciclando materiais. Ao analisar o ciclo de vida do produto, há também
Outros desperdícios, como o excesso de embalagens e o descarte de produtos Que requerem uma disposição final de alto custo. Tanto o desperdício dos Resíduos industriais quanto os desperdícios ao longo da vida do produto estão Embutidos nos preços dos produtos, fazendo com que os consumidores Paguem, sem perceber, pela má utilização dos recursos. É neste sentido que a
Utilização mais racional dos recursos, somente possível através de inovações,Pode aumentar a produtividade e tornar a empresa mais competitiva: pela Redução de custos e/ou pela melhoria de seus produtos – pelos quais os Consumidores estariam dispostos a pagar mais.




3- A grande vantagem das tecnologias “limpas” está na possibilidade de reverter um custo em benefício. Ou seja, o que seria antes tratado como um problema (gastos adicionais para evitar emissões ou para pagar compensações, caso a redução de emissões não seja técnica ou economicamente viável) passa a ser uma vantagem (ganhos de rendimento ou produtividade). Trata-se, portanto, de uma das tais situações win-win que entraram no nosso vocabulário recentemente, onde o ganho de competitividade ocorre concomitantemente ao ganho social.
O objetivo deste é discutir o desempenho ambiental da indústria brasileira e sua relação com a competitividade. O desempenho passado do setor, caracterizado por relativa negligência.
Nesta perspectiva dinâmica sobre os determinantes da competitividade, observa- se que as empresas de inserção internacional são aquelas que mais se preocupam com a questão ambiental.
A evolução da indústria brasileira numa perspectiva ambiental, evidencia seu perfil de potencial poluidor. O aumento da produtividade dos recursos é possível porque a poluição é,muitas vezes, um desperdício econômico. Resíduos industriais, sejam sólidos,líquidos ou gasosos, podem ser reaproveitados em diversos casos, utilizandoos para a co- geração de energia, extraindo substâncias que serão reutilizadas e reciclando materiais. Ao analisar o ciclo de vida do produto, há também outros desperdícios, como o excesso de embalagens e o descarte de produtos que requerem uma disposição final de alto custo. Tanto o desperdício dos Resíduos industriais quanto os desperdícios ao longo da vida do produto estão Embutidos nos preços dos produtos, fazendo com que os consumidores Paguem, sem perceber, pela má utilização dos recursos. É neste sentido que a
Utilização mais racional dos recursos, somente possível através de inovações,Pode aumentar a produtividade e tornar a empresa mais competitiva: pela Redução de custos e/ou pela melhoria de seus produtos – pelos quais os Consumidores estariam dispostos a pagar mais.

4- A tarefa é difícil. Como traduzir, para crianças e adolescentes - e, claro, para os atuais adultos - o que significam os esforços internacionais - e seus conceitos - para resolver o maior problema que a humanidade já enfrentou, as mudanças climáticas.Apesar de seus problemas internos de preservação ambiental e da desigual Distribuição de riquezas, o Brasil tem uma valiosa contribuição a dar nesse sentido.O país possui uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo e já demonstrou Sua capacidade de criar energias alternativas, como aconteceu há 20 anos quando
Foi obrigado a criar o programa de álcool combustível durante a crise do petróleo.As empresas brasileiras têm confirmado essa capacidade, criando fontes de energia A partir de rejeitos industriais, para haver um agregamento na área do markenting ambiental é simplesmente deixa a transparência da empresa nos seus atos indicando seus procedimentos ambientais a vista de sua propaganda, oferecendo atos instrustivos de ambientalismo estimulados suas vendas junta ao meio ambiente .




5-com base nos termômetros a empresa consegue se programa na sua sustentabnilidade de custos futuros , com o acompanhamento as empresas se previnem em desgastes ambientais e financeiros desde, que se é feito as providências em cima das estastisticas.





6- Os números devem ser levados em conta os termômetros pelo fato de que quanto mais houver aquecimento maior será o gasto para sua recuperação , trabalhar em cima de projetos ambientalista custará um valor bem abaixo do que não se preocupar ,. Lembrando que os custos se elevaram a até 80% em valores reais para reparação . Por este fato é mais fácil prevenir do que remediar





7- Acredito que a 1 ação vem da concientização de seus integrantes, havendo concientização de quem trabalha ,gerencia e prospera na empresa tudo será mais fácil, pois o procedimento não caminhará sozinho somente pela vontade dos proprietários.
A segunda ação é a mais coerente, devemos vizualizar a área pela qual a empresa trabalhar e efetivar assim os procedimentos corretos a serem tomados . Exemplo : ( oficina mecânica) que tal começar a nãao jogar óleo queimado no chão ou no esgosto........
Outro ponto essencial e também de estrema importância seria a separação de maneira correta do lixo .assim já obteríamos um resultado bem amplo.

8- O estudo teve como objetivo mensurar a cadeia interna de valor da etapa de processamento do
Pinus como forma de evidenciar o resultado de cada fase do processo na formação do resultado
Econômico da empresa. Abordou-se a cadeia interna de valor como uma ferramenta gerencial
Necessária à formulação de estratégias para desenvolver vantagens competitivas. Caracteriza-se a pesquisa como exploratória, realizada por meio de estudo de caso em uma indústria madeireira localizada em Santa Catarina. Utilizando-se técnicas específicas – por exemplo, método de custeio direto, preço de transferência e custo de oportunidade , desenvolveram-se relatórios gerenciais sob a óptica da cadeia interna de valor. Como resultado, obteve-se um conjunto de informações econômicas, em nível estratégico e operacional, evidenciando aos gestores a contribuição de cada atividade da cadeia na formação do resultado econômico da etapa estudada. As que geraram maior contribuição à empresa foram as de secagem da madeira e de beneficiamento industrial.














9- Algumas experiências em países em desenvolvimento demonstraram que o marketing apresenta-se como uma importante ferramenta gerencial no combate a problemas de saúde. Suas possíveis aplicações e potencialidades têm incitado incipientes discussões entre profissionais da saúde e profissionais da comunicação. De outra parte, as ações comunicacionais implementadas pelas organizações de saúde no Brasil têm se apresentado pouco efetivas, calcadas, principalmente, nos modelos comunicacional de transmissão e de comunicação de massa. Uma abordagem de marketing social não se restringe à mera transposição dos métodos e técnicas do marketing social para a área social. Ela propicia, fundamentalmente, uma nova forma de ver e entender as questões sociais, daí se originando novos métodos e estratégias de intervenção. O marketing social é, na verdade, uma tecnologia de gestão do processo de transformação social. O marketing empresarial nas suas aplicações pelas organizações tem como objetivo a troca de produtos e serviços pertinentes e com qualidade por recursos financeiros, satisfazendo (ou buscando satisfazer), assim, permanentemente, as necessidades tanto das próprias empresas, quanto dos consumidores dos clientes. A utilização do marketing social, tanto pelos governos, quanto pelas organizações não governamentais, proporcionam (ou deveriam propiciar) a aceitação, principalmente, de produtos e idéias pelos clientes e usuários, com o intuito de contribuir para a satisfação das demandas sociais, recebendo, assim, apoio para a sua manutenção e uma razão para permanecer existindo. De outra parte, o denominado marketing enfocando à saúde pública, especificamente, pretende por fim fazer com quer as pessoas, os cidadãos e usuários, adiram a um determinado comportamento e/ou idéia, ou se beneficiem de um determinado produto, promovendo, então, a saúde da coletividade. Como, neste caso, o operacionalizador das técnicas de marketing é o próprio governo, o pagamento de tributos torna-se a moeda indireta de troca. É válido observar que neste caso as relações de troca são menos afetadas pela lógica de mercado e, portanto, tendem a ser menos afetadas pela racionalidade.Por que falamos em consumidor, cliente, usuário e cidadão

10- Quando um produto é certificado, significa que a matéria prima foi retirada de maneira social e ambientalmente correta e toda a cadeia produtiva, até chegar ao produto em si, também foi realizada dentro dos princípios e critérios estabelecidos pelo Conselho Brasileiro de Manejo Florestal – que é bem mais exigente do que a legislação do nosso país.


11- O Brasil que tem uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, tem também um enorme potencial na implementação de inúmeros projetos de energia limpa através de geração hídrica, de biomassa e eólica. Estes projetos são importantes para o combate ao aquecimento global, uma das maiores preocupações atuais da humanidade.

Identificação de potenciais projetos de MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) e propostas de parcerias com diversas entidades públicas e privadas para o seu desenvolvimento;

Orientação e coordenação técnica, elaboração e desenvolvimento desses projetos com a indicação de técnicos altamente capacitados e empresas reconhecidas neste mercado que atuam no setor através de prestação de serviços nas áreas de consultoria, engenharia, projetos, departamento jurídico,instituições financeiras, entre outros;
- Indicação de instituições financeiras para captação de recursos na implantação do projeto;
- Orientação às indústrias brasileiras no sentido de perspectivas que podem obter no mercado de carbono global, indicando instituições financeiras para compra de créditos;
- Custódia de inventário de emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa) das indústrias.

Com esta parceria sai à frente das exigências ambientais e mercadológicas atuais e auxilia a indústria a conquistar uma parcela representativa do mercado de créditos de carbono.






12- Mudanças globais têm levado as empresas à internacionalização crescente de suas
Estratégias. Neste estudo, analisa-se o processo de internacionalização em pequenas e
Médias empresas do setor de componentes para calçados localizadas no sul do Brasil.
Este trabalho toma como base empírica o estudo de casos exemplares em práticas de
Internacionalização do setor em foco. Os resultados mostram que o modelo da Escola de
Uppsala oferece parcialmente uma base explicativa para o referido processo. As ações
Graduais em direção ao mercado externo e a prática da exportação são alguns dos
Aspectos que caracterizam o processo de internacionalização desenvolvido pelas
Empresas estudadas.
A internacionalização de empresas tem se processado de diversas formas e em
Diversos setores. Países como Estados Unidos, Alemanha, Japão, Suécia, entre outros,
Demonstram evoluções qualitativas e quantitativas em relação ao processo de
Internacionalização das empresas por meio do envolvimento acelerado ou gradual com
O mercado externo. Apesar de enfrentar várias dificuldades, empresas oriundas de países
Em desenvolvimento também têm demonstrado a capacidade de competir em mercados
Globais No caso brasileiro, a internacionalização das empresas tem se processado de forma lenta e tardia Mesmo assim,algumas empresas brasileiras passam por evoluções e experiências significativas em direção ao mercado internacional, principalmente após a abertura da economia nacional,ocorrida na década de 1990.





13- o referencial teórico destacou que o desafio das médias e pequenas empresas
Brasileiras, para atuarem mercado globalizado e competitivo, requer, cada vez mais, estratégias para
Inserção no mercado internacional. O consórcio de exportação é uma possibilidade estratégica
Considerando que as empresas têm a probabilidade de efetivarem relações comercias com o exterior
De maneira ágil e com menor custo. Os fatores identificados na literatura, para a operacionalização
Dos consórcios, foram os aspectos operacionais e estratégicos e também o apoio de instituições
Governamentais, como MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior,
SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas e APEX-BRASIL - Agência
Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. Como metodologia adotou-se uma pesquisa
Exploratória de estudo de casos. A pesquisa realizada constatou que os consócios de exportação têm
Viabilizado a internacionalização de pequenas empresas. Os principias benefícios estratégicos
Abordam a troca de experiência, a melhoria da competitividade, o rateio das despesas e também o
Apoio das instituições governamentais. Contudo, percebeu-se que falta da cultura em realizar
Negócios em conjunto e o individualismo dos empresários é avaliado como aspecto impactante e
Causador do insucesso da parceria.


14- Alguns ambientalistas reclamam que a venda de crédito de carbono criada pelo Protocolo de Kyoto concedeu aos países
Industrializados – especialmente Estados Unidos e Europa – o ‘direito de poluir’ e que a negociação tem um resultado financeiro
Maior que o ambiental. Na prática, os créditos de carbono funcionam como uma espécie de ‘cenoura’ que incentiva o empresariado
De todos os portes a investir em tecnologias mais limpas e a melhorar a eficiência energética a partir de investimentos estrangeiros,
O que no somatório dá uma trégua ao meio ambiente.
Iniciativas nesse sentido chegam ao Maranhão - que dispõe de parque industrial com 2.532 empresas segundo o cadastro de 2006
Da Federação das Indústrias - pelas mãos do setor cerâmico, mas o potencial em áreas como siderurgia e madeira e móveis é
Enorme. Os ceramistas se espelham no exemplo do vizinho Tocantins para, a partir do cultivo de arroz irrigado, criar combustível
Renovável da casca e assim substituir a lenha nativa ou mesmo de floresta plantada que alimenta os fornos.


15- O mundo atual passa por grandes transformações econômicas, políticas, sociais, que têm
Afetado o destino das empresas. Estas, para se adaptarem e serem competitivas nesse novo
Cenário, cada vez mais, buscam estratégias inovadoras baseadas em redes de empresas,
Parcerias e alianças. Em vários países, em particular no Brasil, tem aumentado muito nos
Últimos anos a formação de redes de empresas através do sistema de franquias, que consiste
Em uma parceria que se estabelece entre pessoas e empresas para exploração de um
Determinado negócio. Através das redes, as empresas se fortalecem para competirem e
Enfrentarem as ameaças na arena dos negócios. Estudos e pesquisas têm evidenciado o
Importante papel das franquias para o desenvolvimento econômico e social do nosso país.
Para as empresas, as franquias favorecem a expansão rápida e a baixo custo do negócio, para
Diversos locais distantes da sede. Por outro lado, geram oportunidades mais seguras para
Iniciantes na área empresarial e também possibilitam o acesso de consumidores a produtos
E/ou serviços de marcas consolidadas. Neste trabalho, abordamos alguns aspectos teóricos
Referentes às redes de empresas e franquias destacando suas diversas configurações, vantagens
E desvantagens bem como seus aspectos gerenciais e econômicos. A expansão do negócio,
Através de franquias, tem-se tornando uma importante estratégia empresarial para fortalecer
Sua marca.

16- Existe o risco dos certificados de carbono serem transformadas apenas numa operação financeira para dar lucros aos seus investidores e acabar não gerando nenhuma vantagem para o meio ambiente. Isto é, se os instrumentos econômicos forem uma promessa de capturar carbono no futuro.
Muitas vezes no caso dos incentivos florestais, quando muita gente pegou dinheiro subsidiado do Governo para plantar, mas não plantou ou recebeu dinheiro para plantar mil hectares, terminou plantando somente 200 hectares. Nestes casos, as travas para se proteger dos especuladores mau-intencionados estão sendo articuladas com o sistema de produção das commodities ambientais.
Para que isso não ocorra, seria necessário uma fiscalização . Qualquer empresa que quisesse efetivar sua abertura teria que deixar uma garantia para formalização de danos ambientais com renovação anual e assim sendo almentado ou diminuído relativamente com coerências de suas funções e necessidades, ou seja se o desempenho aumenta a garantia também aumenta se diminuir o desempenho a garantia diminuir, sendo que nesta garantia eu colocaria 3% do valor para medidas de imediato na natureza efetivando renovações em seu quadro devastado.


17- Como sempre o impacto acabaria sendo repassado ao público que utiliza os serviços aéreos, a empresa com certeza não irá se entorpece sozinha com um custo repassado a ela , porém friso novamente que o impacto seria repassado aos clientes de modo indireto para cobertura dos valores .

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

PROPAGANDA


QUESTÕES DE PLANEJAMENTO DE CAMPANHAS DE PROPAGANDA

1. A campanha publicitária se caracteriza pela soma de diversos esforços publicitários integrados e coordenados entre sim, para atingir um objetivo de comunicação. Na campanha, todas as peças têm o mesmo tema. Pode ser um conceito verbal, visual ou sonoro, que resume a essência da mensagem principal. Com base nas informações do case acima, responda:

a. Por que esta ação do Cartão Caixa pode ser considerada uma campanha?


Sim, é uma campanha. Busca, por meio do apelo promocional, fazer com que mais pessoas utilizem o cartão caixa. Além disso, a campanha publicitária quer atrair mais clientes para o banco. Para tanto, usa o sorteio para garantir a quitação da fatura mensal do cliente.
A utilização de peças em diversos meios de comunicação de massa (Rádio, Televisão, Jornais, Revistas) e o brinde: pagamento da fatura – além de alcançar vários públicos, são os grandes atrativos. No caso da propaganda para TV, utiliza do futebol, paixão nacional, para promover a participação de mais e mais pessoas.



b. Qual é o tema da campanha (futebol é o tema genérico, há um tema mais específico)? O conceito é verbal, visual ou sonoro?

A agência desenvolveu uma campanha bem-humorada onde o zero é celebrado nas situações mais diversas e inusitadas, como numa partida de futebol, por exemplo.
O tema mais específico é o da comemoração, quando o resultado da partida não sai do zero. O que todo cliente espera que aconteça na hora de pagar sua fatura no fim do mês
O conceito é principalmente visual, em função da partida de futebol apresentada, com a visão panorâmica da torcida. A dinâmica do futebol é distorcida, apenas no momento do chute a gol, onde o artilheiro não faz o gol e ainda assim comemora o resultado. Zero a zero. Uma comparação simbólica do que pode acontecer se o cliente for sorteado no programa fatura zero.

2. A campanha publicitária é resultado de um planejamento, que por sua vez parte da identificação das necessidades do cliente. Utilizando as informações do case, das aulas e de conhecimentos gerais, tente imaginar qual seria o conteúdo dos seguintes itens do planejamento que deu origem a essa campanha:
a. Quais as oportunidades que o mercado oferece?

No mercado de cartão de crédito há vários tipos de promoções, mas nenhuma delas chegou a sortear o pagamento integral de uma fatura mensal. Portanto, este é o diferencial da campanha. O mais interessante é que atinge a todos os clientes que fazem uso do cartão, indistintamente, ou seja, quem for sorteado, independente do valor da fatura, garante uma economia não programada. Melhor para quem tiver altos valores a serem pagos.

b. Quais os objetivos de comunicação?

Causar sinergia junto ao consumidor, com objetivo de incentivar não só o uso dos cartões pelos atuais clientes como atrair novos para a empresa.

c. Qual é o principal público-alvo da campanha?

Pessoas que utilizam cartões de crédito da caixa e aqueles que pretendem se tornar clientes de algum banco e ainda estão em dúvida. O apelo promocional pode fazer a diferença na hora da escolha por um banco.

d- Quais as ferramentas de comunicação?

São três ferramentas. Comerciais para TV, anúncios de jornal e revista e spots de rádio.


e- Qual seria a sua sugestão de método para medir o resultado da campanha?

Fazer um balanço estatístico do número de novos clientes depois de lançada a campanha, comparados aos meses anteriores.
Além disso, comparar a quantidade de vezes que os cartões passaram a ser utilizados pelos clientes depois do lançamento da campanha, de modo a verificar os resultados comerciais da mesma.


3. As pesquisas geram informações importantes para o planejamento. Elas têm diversas formatações e podem descobrir informações dos mais variados tipos e sobre os diversos aspectos do mix de marketing. A campanha do Cartão Caixa tem um prêmio diferenciado (“não é uma commodity”, segundo a diretora da agência de propaganda). Suponha que tenha havido uma pesquisa para se chegar a essa decisão de prêmio. Como seria essa pesquisa? Responda os tópicos abaixo.
a. Qual o problema que a pesquisa precisa responder? Responda na forma de uma pergunta.

Como gerar aumento do número de clientes e o número de transações comerciais com o cartão caixa, por meio de apelo promocional em campanha publicitária?


b. Qual o tipo da pesquisa segundo a proposta de estudo? Justifique.
Pesquisa qualitativa e abrangente pois permite dimensionar o mercado com maior precisão e descobrir como implantar estratégias de diferenciação bem sucedidas.

c. Qual a fonte de dados da pesquisa? Qual a estratégia de coleta dos dados? Justifique.
Estudos para dimensionamento de mercados, avaliação da imagem e força mercadológica das empresas, identificação de novos mercados e oportunidades de negócio, estudo funcional, utilizando-se de dados administrativos, tendo como referencial a coleta dos dados fornecidos pela empresa como notas explicativas das demonstrações financeiras, com relatório da administração, demonstrando as origens das operações comerciais do cartão de crédito.

d. Qual o modelo de análise aplicado? Justifique.
Benchmarking, por ser um meio aonde podemos implementar mudanças que levem melhorias significativas nos produtos e processos da organização e, consequentemente, nos seus resultados, com ou sem fins lucrativos, de qualquer setor ou porte.

e. Qual o ambiente pesquisado? Justifique.

Ambiente negocial, utilizando o processo contínuo para medir os nossos produtos, serviços e práticas com os mais fortes concorrentes ou com as companhias reconhecidas como líderes da indústria de cartão de crédito.

f. Qual a decisão sobre amostragem? Justifique.
Como o número da população total é muito volumoso, fica inviável fazer uma pesquisa que intente abranger todo esse universo. A idéia, então, é usar uma amostra probabilística, por meio de questionário enviado por mala direta, a todos os clientes que têm endereço eletrônico disponível e ativo. É quantitativo probabilístico, pois não temos controle sobre o número de questionários respondidos.


4. Existem algumas técnicas para se redigir um bom briefing. Imagine que você é o atendimento da conta da Caixa Cartões e escreva o item “o que precisa ser feito” do briefing que teria dado origem a esta campanha. Utilize as dicas de redação de briefing e tome como base as informações do case.


Briefing do case:
Campanha para tv, rádio, revista.
Apelo popular
Ênfase na fatura gratuita;
Funcionamento da campanha;
Disponibilidade ampla de recursos;
Comparação com a concorrência;
Descontração do tema;
Públicos diversos;
Análise das necessidades de cada público;
Analogia com temas do dia a dia;
Convite à participação de todos;
Objetivos: aumento do número de clientes e de transações financeiras;
Duração da campanha.



5. A campanha dos Cartões Caixa utiliza diversas mídias. Cite quais são e descreva quais de suas características têm afinidade com os objetivos da campanha.
Rádio, Televisão, Jornais, Revistas.A que tem mais afinidade com os objetivos do anuncio caixa econômica federal é a utilização da mídia em televisão, pois devido ao enorme alcance, a televisão chega tanto ao cidadão mais rico do bairro, mais nobre de uma grande cidade até o humilde morador da favela (dados do IBGE de 2003 apontam que 87,9% dos lares brasileiros têm um televisor). Neste momento, ocorre uma igualdade de condições, isto é, todos se tornam telespectadores. Justamente nesta hora que a propagação de idéias, valores, princípios e ideologias torna-se mais evidente. Portanto, este conceito é veiculado ao telespectador de maneira direta.



6. Enquanto a propaganda oferece razões para a compra, a promoção de vendas proporciona incentivos para a compra. Qual é o objetivo da promoção de vendas nesta ação do Cartão Caixa? Qual o incentivo oferecido?


Aumentar seu público na utilização dos cartões da caixa e manter seus clientes antigos, tendo como resposta um faturamento melhor. O incentivo: conquista os clientes, oferecendo uma promoção de fatura zero, através da modalidade de sorteio pelas casas lotéricas, contemplando cem pessoas ao mês .



7. Uma das características do profissional de criação publicitária é o “amplo e variado repertório cultural”. Como se percebe a aplicação dessa característica na criação publicitária dessa campanha?


O Repertório cultural não foi utilizado na campanha. A aplicação do tema futebol chega a ser óbvio, por um lado, e não muito inteligente, por outro, pois a última coisa que um torcedor quer no futebol é zero a zero. A intenção é boa, porém o objeto escolhido para a representação não foi feliz. Não acredito que a propaganda é de fácil entendimento para os diversos públicos.




Texto 2
Estudo de caso “O Descalçador”

A M.S.C. Metalúrgica lançou em 1930 um produto - Descalçador, para ajudar e facilitar as pessoas na retirada de seus calçados, funciona de maneira simples e eficiente, e para a época era uma enorme inovação.
Para M.S.C. Metalúrgica, o Descalçador possuía muitas vantagens em relação aos tradicionais descalçadores da época, de madeira ou madrepérola. Os consumidores utilizavam o descalçador de maneira segura e fácil, sem correr o risco de acidentes (tombos).
O slogan criado pela M.S.C Metalúrgica para o produto era " A maneira mais fácil e relaxante de retirar seus calçados". Para alcançar a consciência do consumidor (em termos simples, para chamar a sua atenção), foi apresentada uma mensagem que pontuava a facilidade de utilização do produto, demonstrando que até crianças a partir de 5 anos de idade poderiam ser beneficiadas com o uso do descalçador.
Quem era o consumidor/usuário que a M.S.C. Metalúrgica visava?
Crianças a partir de cinco anos de idade até os consumidores da melhor idade (pessoas que poderiam andar sozinhas e com seus movimentos não prejudicados) e procuravam uma alternativa saudável e cômoda para retirar seus calçados.
O grande problema de todo o lançamento, segundo o que conhecemos da literatura, é que não houve diálogo com os consumidores. Um fato interessante foi à realização de pesquisa informais, entre aqueles consumidores que poderiam vir a utilizar o produto, nas mais diversas faixas etárias.
Nas pesquisas informais iniciais, apontaram para o fato de que as mulheres constituíam o mercado-alvo para o Descalçador.
Elas geralmente ficavam em casa cuidando das crianças. Assim, queriam um meio de lidar com mais eficiência do problema quando as crianças tinham que tirar seus calçados, pois elas poderiam fazê-lo sozinhas.
Para alcançar seu mercado-alvo, M.S.C. Metalúrgica decidiu distribuir o Descalçador por meio do varejo – lojas de calçados, lojas de departamento, supermercados, lojas de ferragens.
A comercialização feita diretamente para esses varejistas, evitando os atacadistas e outros intermediários.
O Descalçador é vendido hoje em unidades individuais, e o preço sugerido de varejo era de RS 10,00. Apesar de esse preço ser cinco a dez vezes mais alto do que os tradicionais descalçadores, de madeira ou madrepérola, os consumidores oferecem pouca resistência a compra em função da diferença de preço.
Os custos de fabricação do Descalçador , incluindo frete e embalagem, são de RS 1,95 por unidade. A M.S.C. Metalúrgica repassava o Descalçador para os varejistas por RS 5,00 por unidade.
A meta da A M.S.C. Metalúrgica é colocar no mercado em um ano 100.000 (cem mil unidades).
A M.S.C. Metalúrgica têm hoje um orçamento de aproximadamente RS 100.000,00 para reposicionar e promover, o produto.
O Programa de Marketing e Propaganda, está com foco na utilização das Ferramentas de Comunicação: 1. Divulgação da marca, 2. Promoção da marca/ produtos, 3. Expansão do Mercado, 4. Correção do Mercado, 5. Educação do Mercado, 6. Consolidação do Mercado, 7. Manutenção do Mercado.
Para que o Programa seja colocado em prática a M.S.C. Metalúrgica em conjunto com sua agência de propaganda, deverá escolher algumas ferramentas de Comunicação, dentre elas: 1. Promoção, 2. Promoção de Vendas, 3. Cuponagem, 4. Incentivo, 5. Merchandising (Utiliza qualquer tipo de material impresso: cartazes, displays, folhetos, bandeirolas, banners, faixas e gôndolas - madeira, plástico ou metal, contendo desenhos, frases e fotografias), 7. Resposta Direta, 8. Sampling, 9. Design, 10. Embalagem; além dos veículos de comunicação: rádio, jornal e revista; assessoria de imprensa; promoção de vendas, merchandising e internet.